COMPARTILHANDO A PALAVRA DE DEUS





NOSSA REDE - VÁRIAS PÁGINAS QUE OFERECE INFORMAÇÃO E EDIFICAÇÃO AOS INTERNAUTAS QUE PASSAM POR AQUI


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Em defesa do casamento - 1

Onde se aprova o casamento gay, as consequências sobre a família são devastadoras

Após ter lido o livro “Em defesa do Casamento – Um plano de ação para preservação da família”, do Dr. James Dobson, me propus a compartilhar com vocês algumas reflexões.
A instituição do casamento é um perene presente do criador à humanidade. Ela tem se superado ao longo dos tempos, são mais de cinco mil anos de história escrita e todas as civilizações da história foram constituídas sobre essa instituição.
Mesmo assim, muitos descrentes nos dias de hoje, vêem essa instituição como uma invenção fora de moda, criada por cristãos de mentes fechadas. Mas isso não tem tirado de homens e mulheres o desejo de deixarem pai e mãe, para se unirem um ao outro, mesmo em tempos de paz ou de guerras, fomes ou epidemias.
O casamento tem sido o fundamento da cultura na Ásia, na Europa, nas Américas, na Austrália e até na Antártida. Dentre os trinta países e territórios das regiões geográficas da Ásia, 12 possuem legislação que criminaliza as relações homossexuais, sendo que em três desses, apenas a homossexualidade masculina é alvo de punições.

Hoje, sem contar o Brasil, já são 14 os países onde o casamento homossexual é legal: Holanda, Bélgica, Espanha, Canadá, África do Sul, Noruega, Suécia, Portugal, Islândia, Argentina, Dinamarca, França, Uruguai e Nova Zelândia. Fora os países que o aceitam em partes de seus territórios.
Reconhecidamente, diz Dobson, houve períodos na historia em que a homossexualidade floresceu como nas cidades bíblicas de Sodoma e Gomorra, na Grécia Antiga e no Império Romano. No entanto, nenhuma dessas civilizações sobreviveu, e mesmo onde a prática do homossexualismo é aceita, o casamento continua sendo honrado na lei e nos costumes.
Dobson afirma que, onde os lideres aprovaram o chamado casamento gay, concedendo-lhe status idênticos ao da união tradicional entre homem e mulher, as consequências sobre a família tradicional tem sido devastadoras. Em alguns desses países, casais jovens em sua maioria, moram juntos ou decidem permanecer solteiros.
Em algumas áreas da Noruega, 80% dos primogênitos são concebidos fora do casamento, assim como 60% dos nascimentos subsequentes.
Desestabilidade, efeito negativo
Mudar o planejamento criado para homens e mulheres é sinônimo de desestabilidade. Alguns movimentos se destacaram ao longo dos últimos 35 anos, contribuindo para essa desestabilidade: feministas radicais, legisladores liberais e exploradores da indústria de entretenimento. Porém, o casamento representa o fundamento da ordem social.
Os sexos foram feitos para se encaixarem fisicamente e emocionalmente. George Gilder, sociólogo e autor do livro Homens e Casamento, declara que as mulheres possuem a chave para a estabilidade masculina. Logo a mulher se torna um estimulante natural na vida do seu marido, quando ela confia nele e o apoia, ele tem razões para ser: equilibrado, sábio, cooperador (principalmente na criação dos filhos), produtivo, sóbrio, responsável, estável, competitivo e determinado. Para ser tudo isso, o que não lhe falta é energia, porém, se não houver essa participação feminina, essa energia pode se tornar uma arma mortal.
O organismo humano produz a testosterona, hormônio que causa certos efeitos tanto nos homens quanto nas mulheres. O homem produz de 20 a 30 vezes mais que a mulher. O alto nível do hormônio pode aumentar o comportamento agressivo, como também o desejo sexual.
Nos adultos, pode causar problemas no casamento. Portanto sem esse controle estável proporcionado pela mulher, a tendência do homem é liberar o poder da testosterona de maneira destrutiva para si mesmo e para a sociedade como um todo.
Dr. James Dobson nos dá uma informação interessante: ele diz que um programa social posto em pratica nos EUA, acabou por gerar milhares de homens inúteis. O serviço social que representava mais que a bolsa família aqui no Brasil, entrava em ação para resolver diversos problemas na família, até mesmo quando um filho se metia em problemas. Assim sendo, os homens se tornavam inúteis depois do ato de fecundação. Quem precisa deles?
Consequentemente, o afastamento dos homens de suas mulheres e seus filhos explica por que os índices de uso de drogas, alcoolismo, crime e pais ausentes têm crescido nas grandes cidades. O Brasil que o diga!
O casamento bem sucedido não beneficia apenas a mulher, mas também a sociedade e as gerações futuras. É claro que entre marido e mulher pode haver atritos, e até certo ponto é normal, mas isso não deve se prolongar ou passar para um estágio que possa prejudicar o bom relacionamento.
Lembram que lá atrás foi mencionado que homem e mulher foram feitos para se encaixarem? Pois é! Esse encaixar é um viver harmônico em sincronia, para aquilo para o qual foram criados. Pensem nas engrenagens de uma máquina, seja ela uma grande máquina industrial, seja uma simples máquina de um relógio de pulso. Todas devem trabalhar bem ajustadas, em perfeita harmonia, ou acontecerão danos irreparáveis.
No caso das máquinas o que pode contribuir para um desajuste ou desgaste das peças? Peças inadequadas ou coisas mais simples, como a simples falta de lubrificação.
E no casamento, o que pode estar faltando para que tudo vá bem? Dentre muitas coisas, podemos citar algumas das mais importantes: amor, romantismo, compreensão, diálogo, sensibilidade e entendimento.
Ambos precisam aprender coisas sobre o outro. A confiança dela é muito importante para ele, que quer ser ouvido, principalmente quanto as suas expectativas e sonhos. Como é maravilhoso, depois de compartilhar com o outro os seus sonhos e projetos, ouvir: tenho um grande orgulho de você e sou feliz por fazer parte do seu time (da sua vida).
Deus é maravilhoso! Ele criou primeiro o sexo masculino e o inclui dentro de um grande projeto. Ele é chamado de “sexo forte” e ela, “sexo frágil” mas eles se completam e se tornam imbatíveis, quando seguem o planejamento de Deus.
Deus criou o homem para ser o administrador de um grande plano mas esse plano teria etapas que, sozinho, ele não poderia executar: produtividade, crescimento e prosperidade. (E Deus os abençoou e Deus lhes disse: Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra – Gn 1:28). Sem a mulher, isso seria impossível de acontecer. O homem precisava de motivação: por que, para que e para quem, sabemos que tudo é para gloria de Deus, mas dentro do seu universo limitado ele não vê apenas isso, ele precisa de algo dentro da sua visão humana que lhe dê a razão e Deus lhe dá! Ela é a razão.
Mesmo sabendo que em um relacionamento conjugal entre homem e mulher possam existir momentos difíceis, o plano de Deus é esse: “Por isso, um homem deixa seu pai e sua mãe, e se une à sua mulher, e eles dois se tornam uma só carne” (Gn 2:24).

Há um plano divino na natureza humana que ajusta o homem e a mulher um ao outro. Se houver essa harmonia a sociedade será melhor em todos os seus aspectos.

Pr. Carlos Azevedo é responsável pela IAP em Guanambi (BA).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

NOS ACOMPANHE